ENVELHECIMENTO CUTÂNEO INDUZIDO PELO TABAGISMO

Bianca Cestari Zychar, CARVALHO A, BORDA C.C, MOREIRA D.M, PEREIRA M. A.R, MÁRIO R.F

Resumo


A pele é o principal órgão de comunicação não verbal do organismo e, pode ser considerada marcador biológico e, o seu envelhecimento é consequência de múltiplos fatores intrínsecos e extrínsecos que estão integrados entre si. O Tabagismo, além de ser considerado um dos fatores responsáveis por diversas doenças, principalmente por Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas (DPOC), é também um indutor do envelhecimento cutâneo precoce, provocando o acúmulo de Radicais Livres, fazendo com que o organismo saia da homeostase. A cosmetologia se utiliza de várias substâncias antioxidantes exógenas, como as vitaminas, extratos vegetais dentre outros, com o objetivo da devolução da integridade funcional da pele e a melhora de sua aparência. Assim o objetivo deste trabalho foi relatar a influência do tabagismo no envelhecimento cutâneo, priorizando os aspectos de saúde do indivíduo segundo estatísticas no Brasil e no Mundo e conscientizar que o tabagismo é prejudicial à saúde. Campanhas devem ser continuamente realizadas para diminuição do hábito tabagico, pois tornou-se um problema de saúde pública. 


Palavras-chave


antioxidantes; cosmecêuticos; envelhecimento cutâneo; tabagismo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Bianca Cestari Zychar, CARVALHO A, BORDA C.C, MOREIRA D.M, PEREIRA M. A.R, MÁRIO R.F

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexadores: Sumários.org | Diadorim | REDIB | LATINDEX