Comparação da contagem de plaquetas entre o método de Fônio e automação

Fernanda Ávila, Leonardo Sokolnik de Oliveira

Resumo


A contagem de plaquetas é um dado importante dentro de um hemograma, pois um grande aumento ou diminuição em seus valores podem acarretar sérios problemas ao paciente. Os métodos para obtenção desses dados variam entre o método de Fônio e o método de automação, ambos são muito diferentes entre si, tanto em sua preparação como na quantidade de fatores que podem influenciar nos resultados, porém, apesar das diferenças, ambos utilizam os mesmos valores de referência. Foram coletadas amostras de sangue periférico de 31 indivíduos saudáveis em tubos à vácuo com anticoagulante EDTA, para o método de Fônio, fizeram-se esfregaços sanguíneos com as amostras, que posteriormente foram coradas e analisadas através do microscópio par a realização da contagem das plaquetas; para o método automatizado a contagem foi realizada através do aparelho Wiener Counter 19 pela técnica de impedância. Diante da diferença entre as metodologias estudadas, pôde-se observar que os resultados obtidos podem gerar interpretações clínicas diferentes em função da metodologia empregada, devido às alterações com maior significância clínica estarem presentes no método de Fônio, é necessário maior rigor nas contagens obtidas através do mesmo, para que assim, as análises realizadas sejam as mais fidedignas possíveis em relação ao quadro clínico do paciente. As duas metodologias estudadas são diferentes, portanto os resultados obtidos entre elas não são intercambiáveis.


Palavras-chave


automação; comparação; contagem; Fônio; plaquetas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Fernanda Ávila, Leonardo Sokolnik de Oliveira

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

 

Indexadores: Sumários.org | Diadorim | REDIB | LATINDEX