LEITE ORGÂNICO PRODUZIDO NO DISTRITO FEDERAL: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FÍSICO-QUÍMICA E MICROBIOLÓGICA

Mauro Eduardo Toledo Alves Garcia, Emanuel Pereira Couto, Márcia de Aguiar Ferreira

Resumo


A produção leiteira convencional utiliza diversas substâncias químicas, como antibióticos, muitas vezes de forma indiscriminada. Nesse contexto, surge a produção orgânica de leite cujo mercado tem aumentado consideravelmente no mundo todo, por exigência e mudança de perfil do consumidor. A presente pesquisa teve como objetivo avaliar a qualidade do leite orgânico cru e pasteurizado produzido no Distrito Federal. Foram coletadas amostras de leite orgânico cru (n=5) e pasteurizado (n=25) para avaliação das características físico-químicas, microbiológicas e pesquisa de substâncias químicas.  As amostras de leite cru apresentaram médias de contagem para aeróbios mesófilos de 2,5 x 105 UFC/mL, para coliformes totais de 7,4 x 103 UFC/mL, para psicrotróficos de 4,0 x 103 UFC/mL, para Staphylococcus aureus de 8,9 x 102 UFC/mL e ausência de Escherichia coliSalmonella spp. As amostras de leite orgânico pasteurizado apresentaram médias de contagens de 6,8 x 102UFC/mL para aeróbios mesófilos, de 2,5 x 102 UFC/mL para coliformes totais, ausência dos demais micro-organismos pesquisados. Nas análises físico-químicas, apenas a acidez apresentou médias acima do padrão, tanto para leite cru (18,2ºD) quanto para o pasteurizado (18,4ºD) e, não foram detectados resíduos das substâncias químicas pesquisadas. A partir dos dados gerados foi possível detectar algumas falhas na produção e no beneficiamento, que podem ser sanadas facilmente.

Palavras-chave: qualidade do leite, resíduos de antibióticos, sistema orgânico

 

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

____________________________________________________________________________________________________________________________________