O desenvolvimento das escolas móveis do SENAI SP

Humberto Aparecido Pereira Damasceno, Celso Machado Junior, Nardo Gonçalves dos Santos, Rogério Campos

Resumo


Este trabalho tem como objetivo relatar pela metodologia de estudo de caso, fatos baseados na experiência profissional dos autores sobre a implantação de sistema de projetos, construção e manutenção de escolas móveis, com práticas de Governança Corporativa, em instituição de ensino profissionalizante, no período de 1996 a 2005. A empresa observada tem como finalidade o ensino profissional de trabalhadores da indústria. Na década de 1970 o conselho da entidade aprovou a execução da ação institucional baseada no aproveitamento dos modais de transportes existentes no país. A ideia era o levar o ensino profissionalizante a partir de unidades móveis, montadas em vagões, barcaças e carretas. Inicialmente na construção da primeira escola móvel, aproveitou-se a estrutura de um vagão ferroviário antigo, iniciando-se assim o processo de inovação tecnológica do ensino profissionalizante e das técnicas de administração do novo empreendimento (riscos organizacionais, custos e técnicas de gestão de projetos), fortalecendo-se a cultura organizacional.  A iniciativa motivou a empresa buscar ferramentas de inovação no mercado, e formar seus primeiros grupos de gerentes e projetistas de unidades móveis, mesmo que informalmente. Tais práticas permitiram à internalização da ideia, logo copiada por outros departamentos regionais da instituição. Por exigências legais a instituição em tais projetos princípios defendidos pela Governança Corporativa, tais como sobre prestação de contas, responsabilidade corporativa e a inovação.  O sucesso da iniciativa SENAI MÓVEL extende-se desde o início da década de 70 até os dias de hoje, havendo todos os objetivos iniciais sido alcançados,  ultrapassados e aperfeiçoados.

Palavras-chave


Governança Corporativa; Inovação; Escolas Móveis.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexadores: