GOVERNANÇA CORPORATIVA EM EMPRESAS QUE CAPTAM RECURSOS ATRAVÉS DE FUNDO DE INVESTIMENTOS

Leonardo Fabris Lugoboni, Erika Thereza Moreira De Alencar, Viviane De Oliveira Santos, Paulo José de Azevedo

Resumo


O objetivo desta pesquisa é compreender a importância da governança corporativapara as empresas que captam recursos através de fundo de investimentos. Para isso, foram realizadas entrevistas com profissionais atuantes na area de investimentos e governança corporativa. Após a coleta dos dados, pode-se notar que as instituições estão alinhadas e atuantes com as questões de governança corporativa. Essa pesquisa contibui ao evidenciar que a implementação de governança corporativa é influenciada por tamanho e segmento de atuação das empresas, bem como quais critérios de governança corporativa são importantes para uma gestão direcionada, tendo como exemplo o estabelececimente de comite de gestão de controles e riscos, dentro do departamento responsável de governança corporativa criando fluxogramas e documentando os processos, visando os efeitos desta na proteção do capital nas organizações.


Palavras-chave


Governança. Acionistas. Mecanismos. Investimentos. Gerenciamento.

Referências


ALMEIDA, R. J., Conflitos entre acionistas majoritários, acionistas minoritários e administradores profissionais causados por importâncias assimétricas dos direcionadores de valor das empresas. Revista de Administração, São Paulo, SP, v. 37, n. 1, p. 6-18, jan./ma. 2002. Disponível em: < http://www.spell.org.br/documentos/ver/16629/conflitos-entre-acionistas-majoritarios--acionistas-minoritarios-e-administradores-profissionais-causados-por-importancias-assimetricas-dos-direcionadores-de-valor-das-empresas>. Acesso em: 10 ago. 20018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRIVATE EQUITY E VENTURE CAPITAL (ABVCAP). Estrutura Legal do Fundos de Private Equity e Venture Capital, Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2018.

BERTUCCI, J. et al. Política e práticas de governança corporativa em empresas brasileiras de capital aberto. Revista Adm., v. 41, n.2, p.183-196, abr./mai/jun. 2006. Disponível em: < http://www.spell.org.br/documentos/ver/16927/politicas-e-praticas-de-governanca-corporativa-em-empresas-brasileiras-de-capital-aberto> Acesso em: 10 out. 2018.

BIANCHI, M. et al. A evolução e o perfil da governança corporativa no Brasil: Um levantamento da produção científica do ENANPAS entre 199 e 2008. ConTexto. Porto Alegre, RS, v. 9, n. 15, 1º semestre 2009. Disponível em: < https://seer.ufrgs.br/ConTexto/article/view/11329>. Acesso em: 26 ago. 2018.

BOOF, L.H. et al. O uso de Informações por Analistas de Investimento na Avaliação de Empresas: à Procura de Padrões, Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, vol.10, n.4, out/dez. 2006. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2018.

BUENO, G. et al. Mecanismos externos de governança corporativa no Brasil. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, v. 21, n. 1, p. 120-141, jan./abr. 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 ago. 2018.

Comissão de valores mobiliários (CVM). Recomendações da CVM sobre Governança Corporativa, 2002. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

CUMMING, D. et al. Law, finance, and the international mobility of corporate governance, Journal of International Business Studies, n. 48, p. 123-147, Feb. 2017. Disponível em: < https://scholar.google.com.br/scholar?q=law+finance+and+the+international+mobility+of+corporate+governance&hl=pt-BR&as_sdt=0&as_vis=1&oi=scholart> Acesso em: 10 out. 2018.

DENIS, D. K.; MCCONNELL, J. J. International corporate governance. The Journal of Financial and Quantitative Analysis. v. 38, n. 1, p. 1-36, Mar. 2003. Disponível em: < https://www.cambridge.org/core/journals/journal-of-financial-and-quantitative-analysis/article/international-corporate-governance/7FEFF789ED6EDC4A3BFA28A10488FB8E>. Acesso em: 05 set. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC), Origem da Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em: 06 ago. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC). Código das melhores práticas de governança corporativa. 5.ed. São Paulo, SP: IBGC, 2015. 108p. Disponível em: < http://www.ibgc.org.br/userfiles/files/Publicacoes/Publicacao-IBGCCodigo-CodigodasMelhoresPraticasdeGC-5aEdicao.pdf>. Acesso em: 26 ago. 2018

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC), Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2018

JUNQUEIRA, L. R. et al. Impactos da adesão aos níveis diferenciados de Governança Corporativa sobre a estrutura de capitais das empresas brasileiras. Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, RS, v. 10, n. 3, p. 420-436, jul./set. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reaufsm/article/view/11276>. Acesso em: 10 ago. 2018.

LA PORTA, R. et al. Investor Protection and Corporate Governance. Journal of Financial Economics. v. 58, p. 3-27, 2000. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2018.

LEAL, R. P. C., Governance practices and corporate value: a recent literature survey, Revista Adm, v. 39, n. 4, p. 327-337, Oct./Nov./Dez. 2004. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2018.

LIRA, C. A. et al. Governança Corporativa em um hospital privado: Um estudo de caso sobre o impacto no desenvolvimento hospitalar. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde – RGSS, v. 6, n. 3, p. 229-244, set./dez. 2017. Disponível em: < file:///C:/Users/Usuario/Downloads/329-1816-1-PB.pdf>. Acesso em: 26 ago. 2018.

LUO, Y., Corporate governance and accountability in multinational enterprises: Concepts and agenda. Journal of International Management. n. 11, p. 1-18, 2005. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2108.

KOSE, J.; SENBET, L.W., Corporate governance and board effectiveness. Journal of Banking & Finance. n. 22, p. 371-403, 1998. Disponível em: .Acesso em: 28 ago. 2018.

MARONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2010. xvi, 207 p.

MARTINS, S. M. et al. Governança Corporativa: Teoria e Pratica. Revista Eletrônica de Gestão de Negócios, v. 1, n. 3, p. 76-90, out./dez., 2005. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2018.

MATOS, P. R. F.; NAVE, A. Fundos de investimento em ações no Brasil: performance e expertise de gestão. Brazilian Business Review, v. 9, Edição Especial, p. 2, 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 ago. 2018.

ORGANIZAÇÃO DE COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONOMICO (OCDE), Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em 26 ago. 2018.

ORGANIZAÇÃO DE COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONOMICO (OCDE), Princípios da Governança Corporativa. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2018.

OLIVEIRA, B. G.; SOUSA, A. F. Fundos de investimento em ações no Brasil: métricas para avaliação de desempenho. Revista de Gestão, v. 22, n. 1, p. 41-56, 2015. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2018.

OLIVEIRA, M. C. et al. Práticas de governança corporativa adotadas por companhias fechadas brasileiras e alinhamento às demandas do mercado de capitais. BASE – Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, v.10, n.3, p.196-209, 2013. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2018.

PUNSUVO, F. R.; KAYO, E. K.; BARROS, L. A. B.C. O Ativismo dos Fundos de Pensão e a Qualidade da Governança Corporativa. Revista de Contabilidade & Finanças da USP, São Paulo, SP, v. 18, n. 45, p. 63-72, set./dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 set. 2108.

ROGERS, P.; SECURATO, J. R.; RIBEIRO, K. C. S.; Governança corporativa, custo de capital e retorno do investimento no Brasil. Revista de Gestão USP, São Paulo, SP, v. 15, n. 1, p. 61-77, jan./mar. 2008. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2018.

ROGERS, P.; RIBEIRO, K. C. S. Mecanismos de governança corporativa no Brasil: Evidências do Controle pelo Mercado de Capitais. Contextus Revista Contemporânea de Economia e Gestão, v. 4, n. 2, p. 17-28, jul./dez. 2006. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2018.

ROTTA, Claudio; HILLBRECTH, R. O.; BALBINOTTO NETO, Giacomo. A Governança corporativa no mundo. XXIX Encontro da ANPAD, Brasília, 2005.

SHLEIFER, A.; VISHY R. W. A Survey of Corporate Governance. The Journal of Finance, v. LII, n. 2, p. 737-783, Jun. 1997. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2018.

STRENGER, Christian. The Corporate Governance Scorecard: a tool for the implementation of corporate governance. Corporate Governance: An International Review, v. 12, n. 1, p. 11-15, 2004.

TANI, B. B; ALBANEZ T. Decisões de Financiamento das Companhias Listadas nos Diferentes Segmentos de Governança da BM&FBovespa Segundo a Teoria de Pecking Order, Brasília, Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, DF, v. 19, n. 2. p. 317-334, mai./ago. 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2018.

TOIGO, L. A.; WRUBELL, F.; KLANN R. C. Estrutura de Governança, Accruals, Hedge, e Valor das Empresas. Revista de Administração IMED, Passo Fundo, RS, v. 7, n. 2, p. 139-165, jul./dez. 2017. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018.

VIEIRA, L.A. et al. Investimentos em Empresas de Capital Aberto do Setor Agroalimentar: Um Estudo das Restrições Financeiras. E&G Revista Economia e Gestão, Belo Horizonte, MG, v. 13, n. 32, mai./ago. 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2018

VIEIRA, K.M. et al. A Influência da Governança Corporativa no Desempenho e na Estrutura de Capital das Empresas Listadas na BOVESPA, Revista Universo Contábil, Blumenau, v.7, n.1, p. 49-67, jan./mar. 2011. Disponível em: . Acesso em 24 set. 2018.

VARGA, G; WENGERT M., A Indústria de fundos de investimentos no Brasil, Revista de Economia e Administração, Rio de Janeiro, RJ, v.10, n.1, p.67, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2018.

WILLIAMSON, O. E., Corporate Finance and Corporate Governance. The Journal of Finance, v. 43, n. 3, p. 588, 1988. Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexadores:

   

Spell