O protocolo agroambiental e sua influência na gestão das agroindústrias e fornecedores de cana-de-açúcar: um estudo na microrregião de Assis-SP

Edenis Cesar Oliveira

Resumo


A agricultura brasileira tem passado por uma crise ambiental sem precedentes. A configuração dessa crise está intrinsicamente associada à irradiação direta e indireta dos efeitos da organização socioeconômica e técnica do espaço rural que se expandiu na agricultura brasileira desde os anos sessenta. Nesse cenário estão as agroindústrias e fornecedores de cana-de-açúcar, atuantes no setor sucroenergético, que apresentam forte expansão, com significativos impactos econômico, social e ambiental. Estudos têm evidenciado que a inserção da dimensão ambiental na gestão corporativa pode trazer ganhos de competitividade para as organizações, além de melhorar sua imagem diante de seus stakeholders. A demanda social por um ambiente mais limpo, aliada ao aumento da regulação ambiental, têm forçado as empresas desse setor a realizar e participar de programas extensivos de prevenção e mitigação dos impactos ambientais. Dessa concepção, surge o Protocolo Agroambiental do Setor Sucroenergético Paulista. A pesquisa aqui apresentada objetivou apurar a percepção dos gestores das agroindústrias e fornecedores situados na Microrregião de Assis-SP sobre a influência do Protocolo Agroambiental no processo de gestão ambiental empresarial. Foram aplicadas dezenove entrevistas semiestruturadas com os gestores ambientais de cada organização signatária. Utilizou-se a análise de conteúdo, com apoio do software Atlas.ti. 7. Os resultados evidenciaram forte influência do Protocolo Agroambiental nos processos de gestão ambiental das organizações, sobretudo com a implementação e execução de ações para atender as diretivas técnicas do Protocolo Agroambiental.


Palavras-chave


Desenvolvimento Sustentável; Meio Ambiente; Gestão Ambiental; Setor Sucroenergético; Protocolo Agroambiental.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015