Estudo de viabilidade econômico-financeira de uma Central Geradora Hidrelétrica (CGH) / Study of economic and financial viability of a Central Generating Hydroelectric

Bruno Santos Lopes Candido, Fernando de Almeida Santos

Resumo


O artigo aborda a avaliação de uma Central Geradora Hidrelétrica (CGH), como forma de investimento. O objetivo do trabalho consiste em projetar o fluxo de caixa do empreendimento e avaliar os resultados obtidos a fim de garantir informações importantes para a tomada de decisão, por meio de técnicas de análise de projetos de investimento. O trabalho inicia-se com pesquisa bibliográfica sobre o tema e posterior estudo de caso. Para elaboração do estudo foi realizado levantamento de dados sobre a construção e a identificação das principais variáveis ligadas ao mercado de energia no Brasil. Posteriormente foram utilizadas as técnicas de avaliação de projetos de investimento, no que tange sua viabilidade econômico-financeira. Foi realizada entrevista com um empresário do setor, além de pesquisa e consulta às empresas.  O resultado foi positivo e mostrou que o projeto é um investimento viável, logo, agrega valor ao acionista se comparado à outras alternativas de investimento no mercado financeiro.


Palavras-chave


Econômico-Financeira; Energia Elétrica

Texto completo:

PDF

Referências


Agência Nacional de Energia Elétrica[ANEEL]. (2011a).BIG – Banco de Informações de Geração. Recuperado em 28 março, 2011, de http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/capacidadebrasil/capacidadebrasil

Agência Nacional de Energia Elétrica[ANEEL]. (2011b). Informações do setor elétrico.Recuperado em 28 março, 2011, de http://www.aneel.com.br

Agência Nacional de Energia Elétrica[ANEEL].(2002).. Resolução nº 784, de 24 de Dezembro de2002. Recuperado em 28 março, 2012, dehttp://www.aneel.gov.br/cedoc/res2002784.

Assaf Neto, A. (2003). Finanças corporativas e valor. São Paulo: Atlas.

BAHNEMANN, W. (2010). Segundo leilão de fontes alternativas de energia movimenta R$ 17,5 bilhões, Jornal O Estado de São Paulo, São Paulo. Recuperado em 19 novembro, 2011 de http://economia.estadao.com.br.

Bernardi, L. A. (1998). Política e Formação de Preço: Uma abordagem Competitiva, Sistemática e Integrada (5ª ed.). São Paulo: Atlas.

BETTA -Hidroturbinas. (2011). Prospecto de comercialização de turbinas para MGH e CGH. Recuperado em 15 novembro, 2011, dehttp://www.bettahidroturbinas.com.br

BMF&BOVESPA. Índice Ibovespa – Estatísticas Históricas – Taxa Média de Crescimento. Recuperado em 28 novembro, 2011, de http://www.bmfbovespa.com.br/indices/ResumoTaxaMediaCrescimento.aspx?Indice=IBOVESPA&idioma=pt-br

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.(2011). BNDES PSI Bens de Capital. Recuperado em 19 novembro, 2011, de http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Apoio_Financeiro/Programas_e_Fundos/Psi/psi_bk

Brigham, E. F. (1999). Fundamentos da moderna administração financeira. Rio de Janeiro: Elsevier.

Brito, P. (2003). Análise e viabilidade de projetos de investimentos. São Paulo: Atlas.

Brom, L. G., &Balian, J. E. A. (2007). Analise de investimentos e capital de giro: conceitos e aplicações. São Paulo: Saraiva.

Bueno, F. S. (1996). Minidicionário da língua portuguesa. São Paulo: FTD.

Câmara, B. (2011). Fotometria De Chama. Recuperado em 17 maio, 2012, de http://www.biomedicinapadrao.com/2011/04/fotometria-de-chama.html. Carneiro, D. A. (2010). PCHs Pequenas Centrais Hidrelétricas. Rio de Janeiro: Canal Energia.

Ferreira, A. B. H. (2004). Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa (3ª ed.).Curitiba: Positivo.

Gitman, L. J. (2004). Princípios da Administração Financeira (10ª ed.). São Paulo: Prentice-Hall.

Helfert, E. A. (2000). Técnicas de análise financeira: um guia prático para medir o desempenho dos negócios (9ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2011a). Eco – 92. Recuperado em 27 agosto, 2011, emhttp://ibge.gov.br/ibgeteen/datas/ecologia/eco92.html

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2011b). Estimativas populacionais para os municípios brasileiros. Recuperado em 15 novembro, 2011, dehttp://www.ibge.gov.br/home/

estatistica/populacao/estimativa2011/default.shtm

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2011c). Banco de Dados – Brasil 2011. Recuperado em 27 agosto, 2011, de http://www.ibge.gov.br/paisesat/

Martins, E. (2009). Contabilidade de Custos (9ª ed.). São Paulo: Atlas.

Moraes, B. Z. (2010). Análise Econômico-Financeira de uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH). Rio Grande do Sul: UFRGS.

Müller, A. C. (1995). Hidrelétricas, meio ambiente e desenvolvimento. São Paulo: Markron Books.

Padoveze, C. L. (2005). Planejamento orçamentário: texto e exercícios. São Paulo: Pioneira/ Thomson Learning.

Ribeiro, C. V. T. (2000). Como fazer projetos de viabilidade econômica: manual de elaboração. Cuiabá: Edunic.

Riquelme, D. M. (2008). A Proteção do Meio Ambiente sobre a Perspectiva das Fontes Alternativas de Energia. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Ross, S. A. (2008). Administração Financeira (8ª ed.). São Paulo: Mc Graw-Hill.

Samanez, C. P. (2007). Gestão de investimentos e geração de valor. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Serviço Brasileira de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. (2011). Estudos e Pesquisas – Sobrevivência das Empresas. Recuperado em 12 outubro, 2011, de http://www.sebrae.com.br/customizado/estudos-e-pesquisas/temas-estrategicos/sobrevivencia

Stark, J. A. (2005). Finanças corporativas: conceitos e aplicações. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Veiga, J. E. (2006). Meio ambiente & desenvolvimento. São Paulo: SENAC.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015