RELAÇÃO ENTRE OS INVESTIMENTOS EM TIC E A EVOLUÇÃO PATRIMONIAL DAS COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS DO OESTE DO PARANÁ

Franciane Bortoluzzi, Jerry Adriani Johann, Claudio Antonio Rojo

Resumo


As cooperativas agropecuárias têm o desafio de posicionarem-se e manterem-se competitivas num cenário de economia globalizada. Nesse sentido, o presente artigo teve como objetivo analisar a relação entre os investimentos em tecnologia da informação e comunicação e a evolução patrimonial das cooperativas agropecuárias do oeste do Paraná. Justifica-se este estudo pela importância que a informação representa no processo de tomada de decisão dos gestores do agronegócio. Ademais, reduções drásticas no custo de obtenção, processamento e transmissão das informações estão alterando a maneira de fazer negócios. Em tempos de alta competitividade, aumentar a eficiência no uso da tecnologia da informação e comunicação é fundamental para a sustentabilidade dos negócios. A metodologia do estudo é qualitativa, porque se analisaram os relatórios de gestão dos últimos 20 anos de atuação das cooperativas (dados secundários), os quais foram cruzados com as informações obtidas nas entrevistas (dados primários) com os gestores de TIC destas organizações, e quantitativa, porque análises estatísticas e testes de correlação foram aplicados nos dados. Os resultados demonstraram que as cooperativas com maior percentual de investimentos em TIC também possuem maiores resultados em patrimônio líquido. Os testes apontam correlação entre os investimentos em TIC e a evolução dos resultados da maioria das cooperativas estudadas.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Competitividade; Agronegócio; Tecnologia da Informação e Comunicação; Cooperativismo.

Referências


Albertin, A. L., & Albertin, R. M. M. (Org.). (2005). Tecnologia de informação: desafios da tecnologia de informação aplicada aos negócios. São Paulo: Atlas.

Belusso, D. (2010). A integração de agricultores às cooperativas agrícolas abatedoras de frango no oeste do Paraná. Tese de doutorado, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Presidente Prudente, SP, Brasil.

Canuto, K., & Cherobim, A. P. M. S. (2010). Análise da relação entre investimentos em tecnologia da informação e desempenho organizacional. Revista de Administração e Inovação, 7 (4), 21-42.

Carletto, M. R. (2011). Avaliação de impacto tecnológico: reflexões, fundamentos e práticas. Curitiba: Editora UTFPR.

Carvalho, A. D. (2012). The cooperative development and strategy. International Journal of Accounting and Financial Reporting, 2 (1).

Cervo, A. L., & Bervian, P. A. (1996). Metodologia científica (4a. ed.). São Paulo: Makron Books.

Costa, L. S. (2007, Junho). O cooperativismo: uma breve reflexão teórica. Anais do VI Seminário do Centro de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel, Cascavel, PR, Brasil, 6.

Costa, R. L. da. (2013). A tecnologia da informação como alavancadora de competitividade na cadeia de valor da indústria de bens de consumo: um estudo de caso. Dissertação de mestrado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS, Porto Alegre, RS, Brasil.

Cuffa, D. de, Rojo, C. A., & Maccari, E. A. (2015). Knowledge Management in a Competitive Scenario of an Information Technology Company. International Journal of Innovation, 3,17-34.

Dias, M. F. P., & Pedrozo, E. A. (2012). Desenvolvimento sustentável nas inovações tecnológicas da indústria alimentícia brasileira: em qual estágio estamos?. Organizações Rurais & Agroindustriais, 14 (3), 297-311.

Fariña, L. O., Bertolini, G. R. F., & Meneghatti, M. R. (2017). Relação entre a cooperativa e cooperado na agricultura familiar: a busca pela sustentabilidade econômica dos produtores de leite. Revista Metropolitana de Sustentabilidade, 7 (1), 108-126.

Freeman, C., & Soete, L. (1990). Fast structural change and slow productivity change: some paradoxes in the economics of information technology. Structural Change and Economic Dynamics, 1 (2).

Gartner, I. R., Zwicker, R., & Rodder, W. (2009). Investimentos em tecnologia da informação e impactos na produtividade empresarial: uma análise empírica à luz do paradoxo da produtividade. Revista de Administração Contemporânea, 13 (3), 391-409.

Gawlak, A., & Ratzke, F. A. (2013). Cooperativismo: primeiras lições (4a. ed.). Brasília: Sescoop.

Henderson, J. C., & Venkatraman, N. V. (1999). Strategic Slignment: leveraging information technology for transforming organizations. IBM Systems Journal, 38 (2-3), 472-484.

Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (n. d.). Perfil da região geográfica oeste paranaense. Recuperado em 09, Maio, 2016 de

Laudon, K. C., & Laudon, J. P. (2004). Sistemas de informações gerenciais: administrando a empresa digital (5a ed.). São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Lima, E. S. (2006). O impacto da tecnologia da informação no desempenho econômico de firmas em duopólio: concorrência preço-qualidade sob condição de incerteza. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Malhotra, N. K. (2001). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada (3a. ed.). Porto Alegre: Bookman.

Mattos, J. R. L. de. (2005). Gestão da tecnologia e inovação: uma abordagem prática. São Paulo: Saraiva.

Medeiros, L. S., Parente, R. N. C., & Minora, L. A. (2007). Desafio das micro e pequenas empresas do RN: como a tecnologia da informação cria valor de negócio. Revista Holos, 23 (3).

O’Brien, J. A. (2010). Sistemas de informação e as decisões gerenciais na era da internet. São Paulo: Saraiva.

Oliveira, D. de L., Maçada, A. C. G., & Oliveira, G. D. (2015). Valor da tecnologia da informação na firma: estudo com empresas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, 19 (2), 170-192.

Organização das Cooperativas Brasileiras. (2016a). O Cooperativismo ao alcance de todos. Recuperado em 24 Abril, 2016, de .

Organização das Cooperativas Brasileiras. (2016b). Promoção de defesa dos interesses das cooperativas. Recuperado em 04, Maio, 2016, de http://www.ocb.org.br/site/ocb/index.asp?CodIdioma=1.

Organização das Cooperativas Brasileiras. (2016c). Sete linhas que orientam o cooperativismo. Recuperado em 24, Abril, 2016 de http://www.ocb.org.br/site/cooperativismo/principios.asp.

Organização das Cooperativas do Paraná (2015). As cooperativas do estado do Paraná. Recuperado em 03, Maio, 2016, de .

Peris, A. F. (2003). (Org.). Estratégias de desenvolvimento regional: região oeste do Paraná. Cascavel: Cascavel.

Porter, M. (1999). Competição: estratégias competitivas essenciais (8a ed.). Rio de Janeiro: Campus.

Prado, A. S., Ferrugini, L., Souza, D. L. de, Paiva, C. M. N., & Vilas Boas, L. H. de B. (2014). Reconhecendo o valor do cooperativismo sob a ótica da cadeia meio-fins. Revista FACES Journal Belo Horizonte, 13 (3), 47-65.

Remondes, J. (2012). Potencialidades das tecnologias da informação e comunicação para a eficácia do sistema de gestão da qualidade e imagem empresarial: estudo aplicado nas pequenas e médias empresas da euro região norte de Portugal-Galiza. Organizações em Contexto, 8 (16).

Rezende, A., & Abreu, A. F. (2003). Tecnologia da Informação: aplicada a sistemas de informação empresariais (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Rios, G. S. L. (2007). O que é cooperativismo (2a ed.). São Paulo: Brasiliense.

Robbins, S. P. (2001). Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva.

Rocha, E. E. R. B. (1999). O cooperativismo agrícola em transição: dilemas e perspectivas. Tese de doutorado, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, Campinas, SP, Brasil.

Rostock, F. L. P. (2011). O impacto da tecnologia da informação na geração de recursos competitivos nas empresas: uma abordagem baseada em estudos de caso. Tese de doutorado, Escola de Administração de Empresas de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Salanek Filho, P. (2007). Capital social e cooperativismo agropecuário no processo de desenvolvimento sustentável local: uma avaliação da região de atuação da cooperativa Copacol. Dissertação de mestrado, Centro Universitário – UNIFAE, Curitiba, PR, Brasil.

Santos, F. F., & Chamon, M. A. (2008). A tecnologia da informação e o paradoxo da produtividade. Revista Ciências Exatas, 14 (1).

Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresa. (2016). Cooperativa. Recuperado em 24, Abril, 2016, de .

Silva, C. L. (Org.). (2012). Inovação e sustentabilidade. Curitiba: Aymará Educação.

Silva, T. M. da., Cova, C. J. G., Cruz, E. P., & Fontanillas, C. N. (2008). O novo ambiente de negócios em um “mundo plano”: a influência estratégica das tecnologias da informação e comunicação. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, 2 (2), 01-14.

Silva, C. L. (2013). Sistemas de informação como fator estratégico: uma análise das empresas do setor atacadista de alimentos de Caruaru – PE. Dissertação de mestrado, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Sousa, W. C. de. (2014). Estudo da influência da tecnologia da informação na qualidade do serviço logístico e vantagem competitiva: múltiplos casos no setor automotivo brasileiro. Dissertação de mestrado, Universidade Nove de Julho, São Paulo, SP, Brasil.

Staduto, J. A. R. (Org.). (2007). Agronegócio e desenvolvimento regional: reflexões sobre a competitividade das cadeias de produção paranaense. Cascavel: Edunioeste.

Tourinho, L. N. (2011). Contribuições da tecnologia da informação e da inovação para a produtividade do trabalho dos magistrados: um estudo de caso no superior tribunal de justiça. Dissertação de mestrado, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas, Brasília, DF, Brasil.

Trevisan, L. (2005). Prometeu desacorrentado: investimento em TI, gestão do conhecimento e produtividade. Economia & Gestão, 5 (10), 113-128.

Willers, E. M. (2015). Cultura associativa: a gênese do cooperativismo agropecuário de alimentos da mesorregião oeste paranaense. Tese de doutorado, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE, Toledo, PR, Brasil.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015