O papel do arranjo físico e da gestão de informações como ferramenta para melhoria da competitividade e desempenho dos processos de uma lavanderia industrial / The role of physical arrangement and management information as a tool for improving comp

Lilian Amaral, Gabriela Cezimbra, Enio Fernandes Rodrigues, Luiz Carlos Magarian, Egidio Renostro Tsuji, Lucas Rodrigues Deliberador, Alexandre Formigoni

Resumo


O arranjo físico das operações industriais tem uma grande influência sobre o desempenho dos processos. A localização dos recursos de transformação pode comprometer a produtividade, fazendo com que os recursos transformados tenham que realizar percursos que aumentem os custos de processamento e possam comprometer o prazo de atendimento dos pedidos. O estudo apresentado visa demonstrar que uma boa análise das atividades denominadas como meios permitem ganhos no tocante às distâncias percorridas e presença de estoques em processo (WIP) de um sistema produtivo relativo a uma lavanderia industrial. As principais alterações propostas no estudo de caso dizem respeito à realocação de recursos produtivos, o que permitiu reavaliar aos trajetos seguidos pelos produtos durante seu processamento e liberar locais de grande circulação, traduzindo-se para a empresa como redução de tempo, custos e melhoria do nível de serviço.


Palavras-chave


Arranjo físico; Layout; Processo; Planejamento; Produção.

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção. Perfil do Setor Têxtil. Recuperado em 27 junho, 2012, de http://www.abit.org.br/site/navegacao.asp?id_menu=1&id_sub=4&idioma=PT

Barbosa, E. F. (1993). Gerência da qualidade total na educação. Belo Horizonte: Fundação Christiano Ottoni / UFMG.

Basílio, L. F. (2009). A importância da certificação de qualidade ISO 9001:2008. Qualidade Brasil. Setembro. Recuperado em 24 junho, 2012, de http://www.qualidadebrasil.com.br/artigo/qualidade/a_importancia_a_certificacao_de_qualidade_iso_90012008?from=related_article&rid=104

Bertalanffy, L. V. (1986). General Systems Theory. New York: Braziller.

Brasil Sistemas de Gestão Ltda . Recuperado em 24n junho, 2012 em http://www.bsibrasil.com.br

Chiavenato, I. (2000). Introdução à Teoria Geral da Administração (6ª ed.). Rio de Janeiro: Campus.

Conselho Nacional Do Meio Ambiente. (1986). Resolução 1/86, de 23/jan/86, Dispõe sobre procedimentos relativos à Estudo de Impacto Ambiental. Recuperado em 11 de julho, 2012, de http://www.ambiente.sp.gov.br/legislacao/estadual/resolucoes/1986_Res_CONAMA_1_86.pdf

Corrêa Jr., B., & Furlan, L. T. (2003). Redução do consumo de água e da vazão de efluentes através do gerenciamento das fontes e reutilização de águas – a experiência de Paulínia. Petro & Química, 251, 72-78.

Deming, W. E. (1990). Qualidade: a revolução da administração. Rio de Janeiro: Marques Saraiva.

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (2012). Sistemas de Qualidade. Recuperado em 25 junho, 2012, de http://apps.fiesp.com.br/qualidade/result.htm

Instituto Português Da Qualidade [IPQ]. Certificação de Sistemas de Gestão. Recuperado em 27 junho, 2012, de http://www.ipq.pt/custompage.aspx?modid=1576

Ishikawa, K. (1993). Controle da qualidade total: à maneira japonesa. ( I. Torres, Trad.). Rio de Janeiro: Atlas.

Juran J. M. (1992). A qualidade desde o projeto: novos passos para o planejamento da qualidade em produtos serviços ( 2ª ed.). São Paulo: Pioneira.

Krajewski, L. J., Ritzman, L. P., & Malhotra, M. K.(2010). Administração de produção e operações (Fernandes, L. B. R., & Oliveira, M. S. R. Trads. - 8ª ed.). São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Lins, B.F.E. (1993). Ferramentas básicas da qualidade. Ciência da Informação, 22(2),153-161.

Ministério Do Desenvolvimento, Indústria E Comércio Exterior. (2012). Cadeia produtiva têxtil e de confecções, Recuperado em 25 junho, 2012, de http://www.desenvolvimento.gov.br/sitio /interna/interna.php?area=2&menu=316

Moreira, D. A. (1996). Administração da Produção e Operações (2ª ed.). São Paulo: Pioneira.

Oliveira, D. P. R. (2004). Sistemas, Organização e Métodos: uma abordagem gerencial (14ª ed.). São Paulo: Atlas.

Oliveira, S. T. (1996). Ferramentas para o Aprimoramento da Qualidade. São Paulo: Pioneira.

Riggs, J. L. (1970). Production systems: planning, analysis, and control. New York: John Wiley.

Ritzman, L. P., & Krajewski, L. J. (2007). Administração da produção e operações. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Sanin, L. B. B. (1997, março). A Indústria Têxtil e o meio Ambiente (Apostila). São Paulo:Química Têxtil.

Slack, N., Chambers, S., &; Johnston, R. (2009). Administração da Produção (2ª ed.). São Paulo: Atlas.

Toledo, R. A. S. (2004). Tecnologia da Reciclagem(Apostila). São Paulo:Química Têxtil.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015