Aspectos da qualidade da água para abastecimento público na represa Paulo De Paiva Castro – Sistema Cantareira - São Paulo - SP / Ecological aspects of dam Paiva Castro - Cantareira System - São Paulo - SP

Daniela de Moura, Fabiana Schumacher Fermino

Resumo


A água é o recurso indispensável à vida de todos os seres vivos. O estudo e monitoramento dos mananciais que servem milhões de pessoas na metrópole de São Paulo são essenciais para garantir qualidade no abastecimento público. O local escolhido para o trabalho foi a Represa Paulo de Paiva Castro, que pertence ao Sistema Cantareira e se trata de uma região que ainda apresenta uma boa condição de preservação, porém vem sofrendo com a crescente ocupação urbana proveniente do município de Mairiporã. O objetivo deste trabalho é analisar os aspectos da qualidade da água deste manancial nos últimos cinco anos através de revisão bibliográfica e análise de dados de relatórios anuais emitidos pela CETESB. Conclui-se que, apesar da ação antrópica na região, nos últimos cinco anos a qualidade da água se manteve nos teores classificados como bom e ótimo.


Palavras-chave


Qualidade da água; Manancial; Sistema Cantareira

Texto completo:

PDF

Referências


Barros, F. G. (2006). A bacia amazônica brasileira no contexto geopolítico da escassez mundial de água. Dissertação de Mestrado em Economia. Universidade da Amazônia, Belém, AM, Brasil.

Bere, T. & Tundisi, J. G. (2010). Biological monitoring of lotic ecosystems: the role of diatoms. Brazilian Journal of Biology, 70(3). São Carlos/SP.

Branco, S. M. (1986). Hidrologia aplicada à engenharia sanitária (3ª ed.). São Paulo: CETESB/ASCETESB.

CONAMA. Resolução n. 357, (2005). De 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes para seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de afluentes e dá outras providências. Recuperada em 1 julho, 2013 de http://www.mma.gov.br/port/conama/

Castellano, E. G., & Chaudhry, F. H. (2000). Desenvolvimento Sustentado: problemas e estratégias. São Carlos: EESC/USP.

Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. (2012). Relatórios de qualidade das águas superficiais de São Paulo no período de 2007 à 2011. Recuperado em 15 julho, 2012, http://www.cetesb.sp.gov.br/agua/aguas-superficiais/35-publicacoes-/-relatorios

Cunha, I. A., Franco, I., Ferreira, J. S. W., Tundisi, J. G., Yazaki, L. F. O. L., Martins, M. L. R. & Whately, R. (2008). Mananciais, uma nova realidade. São Paulo: ISA.

Esteves, F A. (1998). Fundamentos de Limnologia (2ª ed.). Rio de Janeiro: Interciência.

European Union. (2000). Diretive 2000/60/EC of the European Parlament and of the Council of 23 October 2000 establishing a framework for Community action in the field of water policy. Official Journal of the European Community, 327(series L), 1-73.

Fermino, F. S. 2013. Enriquecimento e Difusão de Sais em Substratos: Aspectos Ecológicos e Aplicações. In Schwarzbold, A., Burliga, A. L., & Torgan, L. C. Ecologia do Perifiton, São Carlos-SP: Editora Rima.

Figueiredo, M. C. B. (2007). Avaliação da vulnerabilidade ambiental de reservatórios à eutrofização. Engenharia Sanitaria Ambiental. Recuperado em 15 julho, 2012, dehttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-41522007000400006&script=sci_abstract&tlng=pt

Galli, C. S., & Abe, D.S. (2010). Disponibilidade, Poluição e Eutrofização das Águas. In Bicudo, C. E. M., Tundisi, J. G., & Scheuenstuhl, M. C. (Org.) Águas do Brasil, Análises Estratégicas. São Paulo: Instituto de Botânica.

Galvão, C. O. (2007). Hidrologia Aplicada: Qualidade da Água. Recuperado em 15 julho, 2012 de http://bases.bireme.br/cgibin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=REPIDISCA〈=p&nextAction=lnk&exprSearch=156426&indexSearch=I/D

Kelman, J. (2004). Escassez de água é um dos maiores problemas do século. Recuperado em 15 julho, 2012 de http://www.portugaliza.net/numero05/Materia_ANA.pdf

Lei Estadual n° 663/91. (1994). Secretaria de Recursos Hídricos, Saneamento e Obras. Legislação de São Paulo sobre recursos hídricos. São Paulo: DAEE.

Lima, A. M. (2004). Limnologia e Qualidade Ambiental de um Corpo Lêntico Receptor de Efluentes Tratados de Indústrias de Petróleo. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RS, Brasil.

Lobo, E. (2013). O Perifiton Como Indicador da Qualidade da Água. In Schwarzbold, A., Burliga, A. L., & Torgan, L. C. Ecologia do Perifiton. São Carlos-SP: Editora Rima.

Lopes, A. 2007. Estudo da Comunidade Fitoplanctônica como Bioindicador de Poluição em Três Reservatórios em Série do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, PEFI, São Paulo. Dissertação de Mestrado em Saúde Pública. Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Rebouças, A. C. (2006). Água Doce no Mundo e no Brasil. In Tundisi, J. G. et al. Águas Doces no Brasil: Capital ecológico, Uso e Conservação (3a ed.). São Paulo: Escrituras.

Souza, H. B., & Derísio, J. C. (1977). Guia técnico de coleta de amostras de água. São Paulo: CETESB.

Tofoli, L. A. (2010). Monitoramento da Qualidade da Água em mananciais Pertencentes a Bacia Hidrográfica do Tietê – Botucatu, Dissertação de Mestrado em Agronomia. Universidade Estadual de São Paulo. Botucatu, SP, Brasil.

Tundisi, J. G. (2005). Água no século XXI: enfrentando a escassez (2a ed.). São Carlos: Rima.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015