O uso das redes sociais na internet na sociedade brasileira / Use of the internet networks in brazilian society

Edson Labadessa

Resumo


Este estudo aborda as redes sociais, propagadas pela internet, as quais são largamente exploradas no Brasil e no mundo, para o compartilhamento de informações pessoais e profissionais. Observa-se que a magia está na falta de controle sobre o que é divulgado. As empresas se utilizam dessas redes tanto para o monitoramento de seus funcionários e como termômetro do marketing da organização frente a seus concorrentes e clientes. Nelas, a voz do cliente é amplificada, e hoje, poucas empresas estão prontas para ter seus clientes próximos e ligados por essas redes soci­ais. Concluiu-se, com este trabalho, que as redes sociais são consideradas fortes criadoras de ideias, na denominada “influência online”, uma vez que a mensagem compartilhada nessas redes sociais (Facebook, Twitter, etc.) se espalham muito rápido e atingem uma imensa gama de receptores, criando uma rede de seguidores.


Palavras-chave


Redes sociais; Compartilhamento de informações; Influência.

Texto completo:

PDF

Referências


Freitas, C. M. D., Nedel,L. P., Galante, R., Lamb,L. C., Spritzer, A. S., Fujii, S., & Oliveira, J. P. M. (2008). Extração de conhecimento e análise visual de redes sociais. Anais do Congresso da SBC- Seminários Integrado de Software e hardware, Belem do Pará, PA, Brasil, 28.

Castells, M. (2003). A. Galáxia da internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Castells, M. (1999). A sociedade em rede (2ª ed.). São Paulo: Paz Terra.

Colonomos, A. (Org.) (1995). Sociologie dês réseaux transnationaux; communautés, entrepríses et individus: lien social et système international. Paris: I`Harmanttan.

Dambrós, J., & Reis, C. (2008). A marca nas redes sociais virtuais: uma proposta de gestão colaborativa, Anais do Congresso Brasileiro de Ciências Da Comunicação, Natal, RN, Brasil, 31.

Davenport, T. H., & Prusak, L. (1998). Conhecimento Empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

Dixon, N.(2000). Common knowledge: how companies thrive by sharing what they know. Harvard: Harvard Business School Press.

Emirbayer, M., & Goodwin, J. (1994). Networ analysis, culture and the problem of a agency. American Journal of Sociology, 99(6), 1411-1454.

Granovetter, M. (1973). The strength of weak ties. The American Journal of Sociology, 78(6), 1360-1380.

Kumar, K., Novak, J., & Tomkins, A. (2006). Structure and evolution of online social networks. Proceedings of Proc. of ACM SIGKDD Intl. Conf. on Knowledge Discovery and Data Mining, New York. USA.

Lévy, P. (1999). Cibercultura. São Paulo: Editoria 34.

Marteleto, R. (2001). M. Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da informação. Revista Ciência da Informação, Brasília, 30(1), 71-81.

Recuero, R. C. (2004). Teoria das redes sociais na internet. Recuperado em 12 abril, 2012, de http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/121985795651418859729998795470196200751.pdfset

Recuero, R. C. (2009). Redes sociais na internet: considerações iniciais. Porto Alegre: Meridional Ltda.

Souza, A. D., & Sousa, A. R. (2010). Redes sociais nas corporações: uma ferramenta que pode aumentar a produtividade. Recuperado em 15 abril, 2012, de http://www.webartigos.com/artigos/redes-sociais-nas-corporacoes-uma-ferramenta-que-pode-aumentar-a-produtividade/62545/

Wasserman, S., & Faust, K. (1994). Social network analysis. Methods and applications. Cambridge: Cambridge University Press.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015