Panorama Acadêmico sobre Resíduos Sólidos: Análise da produção cientifica a partir do marco legal do setor

Layon Carlos Cezar, Telma Regina da Costa Guimarães Barbosa, Maria Cecília Teixeira Reis, Fortunato da Fonseca Júnior

Resumo


Esse artigo objetiva analisar o panorama da produção científica nacional a respeito dos resíduos sólidos na área da administração, ciências contábeis, economia e turismo, a partir da sanção da Lei nº 12.305/2010 que instituiu a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS). Acredita-se que os estudos obtiveram maior robustez a partir da criação da referida Lei que trouxe inúmeros desafios para os municípios e novos debates científicos para o setor. Para efetivação deste estudo, realizou-se pesquisa bibliográfica no portal eletrônico de indexação de artigos: SPELL. A análise foi realizada por meio de técnicas de bibliometria e metanálise. Os principais resultados apontam para baixa concentração de artigos embasados na PNRS, levando a pressupor, que a política pode estar enfrentando problemas quanto ao seu processo de implementação. A conclusiva deste estudo direciona-se para a visão de que novos debates científicos poderão ganhar maior solidez ao passo que a PNRS for implementada com eficiência ao longo do tempo.


Palavras-chave


Resíduos sólidos; Políticas públicas; Gestão ambiental; Reciclagem; Logística reversa.

Texto completo:

PDF

Referências


Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. (2011). Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil. São Paulo: ABELPRE.

Barroso, L. R. (2007). Saneamento Básico: competências constitucionais da união, estados e municípios. REDAE. 1(11), 1-21.

Besen, G. R. (2006). Programa de coleta seletiva de Londrina: caminhos inovadores rumo a sustentabilidade. In: JACOBI, P. Gestão compartilhada de resíduos sólidos no Brasil. Inovação com inclusão social. São Paulo: Annablume.

Brasil. (2010). Lei nº 12.305, de 22 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3.8.

Bulcão, L. G., & Albano, E. A. (2010). O gerenciamento de resíduos sólidos na região metropolitana II do estado do Rio de Janeiro. RGSA – Revista de Gestão Social e Ambiental, 4(2), 75-85.

Cezar, L. C., Barbosa, T. R. C. G., & Reis, M. C. T. (2013). Interfaces da comunicação pública e governamental na divulgação da política nacional dos resíduos sólidos. Revista de Ciências Humanas, Viçosa, 13(1), 102-120, jan./jun.

Corrêa, M. S., & Lange, L. C. (2011). Gestão de resíduos sólidos no setor de refeição coletiva. PRETEXTO, Belo Horizonte 12(1), 29-54.

Dal Piaz, J. F., & Ferreira, G. M. V. (2011). Gestão de resíduos sólidos domiciliares urbanos: o caso do município de Marau-RS. Revista de Gestão Social e Ambiental. São Paulo, 5(1), 33-47.

Dagnino, E., & Tatagiba, L. (Orgs.). (2007). Democracia, sociedade civil e participação. Chapecó: Argos.

Demajorovic, J. (1995). Da política tradicional de tratamento do lixo à política de gestão dos resíduos sólidos: as novas prioridades. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, 35(3), 88-93.

Fundação Estadual de Meio Ambiente. (1995). Recuperado em 05 de março de 2013 de http://www.feam.br.

Filho, J. A. P., & Graudenz, G. S. (2012). Destinação irregular de resíduos de construção e demolição (RCD) e seus impactos na saúde coletiva. Revista de Gestão Social e ambiental. São Paulo, 6(1), 127-142.

Gil, A. C. (2006). Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2008). Pesquisa Nacional de Saneamento Básico. São Paulo: IBGE.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. (2012). Plano Nacional de Resíduos Sólidos: diagnóstico dos resíduos urbanos, agrosilvopastoris e a questão dos catadores. Recuperado em 05 março, 2013 de http://www.mma.gov.br/port/conama/reuniao/dir1529/PNRS_consultaspublicas.pdf.

Lafuente Junior, A. N. A. (2012). Resíduos sólidos em restaurante comercial: um estudo de caso na cidade de Santos/SP. Revista de Tecnologia Aplicada. 6(2), 44-61.

Leite, V. D., Oliveira, S. A., Prasad, S., & Ribeiro, M. D. (2010). Gestão de serviços de limpeza urbana em cidades de médio porte. Revista de Gestão Social e Ambiental, 4(3), 146-158.

Luiz, A. J. B. (2002). Meta-análise: definição, aplicações e sinergia com dados espaciais. Cadernos de Ciência & Tecnologia. Brasília, 19(3), 407-428.

Marchi, C. M. D. F. (2011). Cenário Mundial dos Resíduos Sólidos e o Comportamento Corporativo Brasileiro Frente à Logística Reversa. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 1(2), 118-135.

Martins, C. H. B. (2006). Interação entre associações de reciclagem na RMPA e seus parceiros externos: limites e desafios. In: Jacobi, P. Gestão compartilhada de resíduos sólidos no Brasil. Inovação com inclusão social. São Paulo: Annablume.

Minas Gerais. (2010). Política Estadual dos Resíduos Sólidos. Lei 18.031/2010. Dispõe sobre a Política estadual dos Resíduos Sólidos. Recuperado em 05 março, 2013 de http://hera.almg.gov.br/cgibin/nphbrs?d=NJMG&f=G&l=20&n=&p=1&r=1&u=http://www.almg.gov.br/njmg/chama_pesquisa.asp&SECT1=IMAGE&SECT2=THESOFF&SECT3=PLUROFF&SECT6=HITIMG&SECT7=LINKON&SECT8=DIRINJMG&SECT9=TODODOC&co1=E&co2=E&co3=E&s1=Lei&s2=18031&s3=2009&s4=.

Moraes, R. O. & Pereira, P. M. S. (2012). O programa de manejo diferenciado e reciclagem de resíduos da Prefeitura de Belo Horizonte. Revista de Gestão Social e ambiental. São Paulo, 6(1), 117-126.

Moretti, S. L. A., Lima, M. C. & Crnkovic, L. H. (2011). Gestão de resíduos pós-consumo: avaliação do comportamento do consumidor e dos canais reversos do setor de telefonia móvel. Revista de Gestão Social e Ambiental. São Paulo, 5(1), 03-14.

Paraíba. (2013). Objetivos do Plano Estadual de Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos. Recuperado em 05 março 2013 de http://www.paraiba.pb.gov.br/meio-ambiente-dos-recursoshidricos-e-da-ciencia-e-tecnologia/objetivos-do-plano-estadual-de-gestao-integrada-de-residuossolidos.

Pinto, M. R., Pereira, D. R. M. & Freitas, R. C. (2012). Fatores sociais, econômicos e demográficos associados à geração de lixo domiciliar na cidade de Belo Horizonte. Reuna, 17(2), 27-44.

Roesch, S. M. A. (1999). Projeto de estágio e de pesquisa em administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertação e estudos de caso (2.ed). São Paulo: Atlas.

Santos, J. G. (2012). A Logística Reversa como ferramenta para a sustentabilidade: um estudo sobre a importância das cooperativas de reciclagem na gestão dos resíduos sólidos urbanos. Reuna. 17(2), 81-96.

Silva, L. C., Roza, B. C., & Rathmann, R. (2012). Gestão de resíduos sólidos urbanos na cidade do Porto (Portugal): um exemplo de prática sustentável? Revista de Gestão Social e Ambiental. São Paulo, 6(2), 60-78.

Silva, M. E. & Cândido, G. A. (2012). A análise de indicadores de sustentabilidade na Problemática de resíduos sólidos em Campina Grande – PB. Reuna, Belo Horizonte, 17(1), 91-110.

Sousa, T. G., Paé, A. S., Silva, D. G. K. C., Carvalho, A. P., SOUSAS, A. M,, & Tupinambá, F. C. M. (2010). Uma análise do perfil ambiental do centro comercial em Açailândia – MA/ Brasil. Revista de Gestão Social e Ambiental, 4(1), 127-136.

Souza, M. T. S. (2000). Organização sustentável: indicadores setoriais dominantes para a avaliação da sustentabilidade – análise de um segmento do setor de alimentação. Tese de Doutorado, Escola de Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Souza, C. (2006). Políticas Públicas: uma revisão de literatura. Sociologias, Porto Alegre, 8(16), 20- 45.

Souza, M. T. S., De Paula, M. B. & Souza-Pinto, H. (2012). O papel das cooperativas de reciclagem nos canais reversos pós-consumo. Revista de Administração de Empresas. 52(2), 246-262.

Teixeira, M. G. C. (2010). Impasses na constituição de mecanismo de mudança climática: a experiência de uma empresa brasileira de geração de energia elétrica proveniente do lixo. O&S - Salvador, 17(55), 665-688.

Vanti, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da informação, Brasília, 31(2), 152-162.

Vergara, S. C. (2006). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015