Demonstração do Valor Adicionado(DVA): distribuição de riqueza ao pessoal e aos capitais de entidades dos Setores da Autoindústria e de Bens de Capitais

Eduardo Wink, Patrícia Schneider Severo, Matheus Tumelero Dornelles

Resumo


Este artigo objetivou analisar a distribuição do valor adicionado produzido por Companhias pertencentes aos Setores da Autoindústria e de Bens de Capital aos agentes de produção trabalho e capital, no período entre 2008 e 2012, por meio da Demonstração do Valor Adicionado (DVA). Metodologicamente realizou-se uma pesquisa com objetivo descritivo, procedimento documental e bibliográfico e abordagem qualitativa do problema. A população escolhida foi formada pelo conjunto de entidades nomeadas pela revista Exame – Maiores e Melhores, edição 2012, classificadas nos setores de Autoindústria e de Bens de Capital. Sendo a amostra determinada por acessibilidade dos dados e não probabilística, constituída, no setor da Autoindústria, pelas companhias Embraer, Marcopolo e Mahle e, no setor de Bens de Capital, pelas empresas Romi S.A., Kepler-Weber S.A. e Bardella S.A. Os resultados revelaram que a Embraer foi a entidade com maiores valores de receita do grupo pesquisado. Já em relação a capacidade de geração de valor adicionado, a entidade que mais transformou receita em valor adicionado foi a Romi, em média 51% da receita realizada. As Companhias de forma geral distribuíram mais valor adicionado ao pessoal do que aos capitais.

 


Palavras-chave


Demonstração do valor adicionado; Setor da autoindústria; Setor de bens de capital; Pessoal; Capitais.

Texto completo:

PDF

Referências


Bispo, J. S. (2009). Criação e distribuição de riqueza pela Zona Franca de Manaus. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2009.

BRASIL. Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Dispõe sobre as Sociedades por Ações. Disponível em: Acesso em: 16

jul. 2012.

Burchell, S., Clubb, C., & Hopwood, A. G. (1985). Accounting in its social context: towards a history of value added in the United Kingdom. Accounting Organizations and Society, 10(4), 382-413.

Cahan, S. F., & Van Staden, C. J. (2009). Black economic empowerment, legitimacy and the value added statement: evidence from post-apartheid South Africa. Accounting and Finance – Department of Accounting and Finance, University of Auckland Business School. New Zealand, 49, 37–589.

Cunha, J. V. A. (2002). Demonstração Contábil do Valor Adicionado – DVA - um instrumento de mensuração da distribuição da riqueza das empresas para os funcionários. São Paulo: 2002. Dissertação (Mestrado) Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Cunha, J. V. A. Ribeiro, M. S. R., Santos, A. (2005). A Demonstração do Valor Adicionado como instrumento de mensuração da distribuição da riqueza. Revista Contabilidade & Finanças, 16(37), 7–23.

Dalmácio, F. Z. (2004). Indicadores para análise da Demonstração do Valor Adicionado. Revista Brasileira de Contabilidade. Brasília, 1(1), 89-97.

Dolabella, M. M. (1992). Demonstração do Valor Adicionado – A avaliação do desempenho econômico das empresas pela contabilidade social. Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, 4(1), 46-55, fev.

Evraert, S., & Riahi-Belkaoui, A. (1998). Usefulness of value added reporting: a review and synthesis of the literature. Managerial finance, 24(11), 1-13.

EXAME. (2011). Melhores & Maiores. São Paulo: Abril.

EXAME. (2012). Melhores & Maiores. São Paulo: Abril.

Fregonesi, M. S. F. A. (2009). Investimentos socioambientais na demonstração do valor adicionado: formação ou distribuição do valor adicionado? Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) – Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Mazzioni, S. (2005). Delineamento de um modelo de balanço social para uma fundação universitária. Dissertação Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, MG, Brasil.

Mcleay, S. (1983). Value Added: comparative Study. Accounting, Organizations and Society, 8(1), 31-56.

Meek, G. K., & Gray, S. J. (1988). The Value Added Statement: An innovation for U. S. Companies? Accountig Horizons, 2(2), 73-81.

Moraes, P. B. (2008). Uso da demonstração do valor adicionado (DVA) como ferramenta de mensuração dos tributos de empresas selecionadas no Brasil. Dissertação Mestrado em Gestão de Negócios. Faculdade de Administração da Universidade Católica de Santos, Santos, SP, Brasil

Morley, M. F. (1979). The value added statement in Britain. The accounting Review, Sarasota, 54(3), 618-629.

Santos, A. (2007). Demonstração do Valor Adicionado: como elaborar e analisar a DVA (2ª ed.). São Paulo: Atlas.

Severo, P. S., Tinoco, J. E. P., Los, G. Z., Lopes, J. C. S., & Yoshitake, M. (2012). Evidenciação da distribuição de valores gerados ao pessoal, ao governo e as sobras aos cooperados com base na

Demonstração do Valor Adicionado (DVA) de Cooperativa de Crédito no período de 2008 a 2010. Anais do Seminários em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil, 15.

Silva, A. C. R. (2008). Metodologia da Pesquisa Aplicada à Contabilidade (2ª ed.; 2ª Reimpr.). São Paulo: Atlas.

Suojanen, W. W. (1954). Accounting Theory and large Corporation. Accouting Review. [S.1], 7, 391-398.

Tinoco, J. E. P. (1984). Balanço Social – Uma abordagem sócio-econômica da contabilidade. Dissertação de mestrado em Economia e Administração. Universidade de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil.

Tinoco, J. E. P. (2010). Balanço Social e o Relatório da Sustentabilidade. São Paulo: Atlas.

Tinoco, J. E. P.; Moraes, P. B., Peleias, I. R., Claro, J. A. C. S., & Nascimento, B. (2011). Estudo sobre a carga tributária de empresas brasileiras através da demonstração do valor adicionado (DVA) - período de 2005 a 2007. Revista Ciências Administrativas, 17(1), 84-111.

Van Staden, C. J. (2000). The value added statement: bastion of social reporting or dinosaur of financial reporting? Massey Discussion Paper, nº 200. Mar.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015