Praticas socioambientais em hotéis-fazenda do agreste pernambucano sob a perspectiva do cliente

Viviane Silva Souza, Marcos Falcão Sobral, André Souza Melo

Resumo


O presente artigo relata uma pesquisa de campo realizada com hóspedes dos seis hotéis-fazenda vinculados à Associação Pernambucana de Turismo Rural, Ecológico e Interiorano  (Apeturr), localizados na Região Agreste de Pernambuco. O artigo objetiva analisar a percepção dos hóspedes em relação às práticas de responsabilidades socioambientais dos hotéis-fazenda da Região do Agreste de Pernambuco. Os dados foram coletados através da aplicação de questionários que avaliaram a percepção dos hóspedes sobre a responsabilidade socioambiental difundida nesses meios de hospedagem. A pesquisa caracterizou-se como exploratória, quanto aos objetivos, e quali-quantitativa, quanto à sua abordagem. Foi utilizado o teste Qui-Quadrado de Independência, para analisar a relação entre as variáveis escolhidas no estudo. Resultados apontam que mais de 90% das pessoas entrevistadas não conheciam previamente as práticas ambientais nos hotéis pesquisados. Sendo assim, o fato de os hóspedes não saberem que o hotel tem atitudes sustentáveis não influenciou na sua decisão de compra e, também, não impediu que fossem fidelizados e retornassem ao hotel novamente, como apontam os resultados.


Palavras-chave


Turismo rural; Responsabilidade socioambiental; Hospitalidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT (2012). Meios de Hospedagem: Sistema de gestão da sustentabilidade. Associação Brasileira de Normas Técnicas, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Rio de Janeiro, p. 82.

ABNT. (2006). NBR 15401: Meios de Hospedagem – Sistema de Gestão da Sustentabilidade – Requisitos. ABNT. Rio de Janeiro, p. 22.

Almeida, G. M. M. D. & Freitas, A. L. P. (2009). Avaliação da Consciência Ambiental em Meios de Hospedagem. XXIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 09 outubro, 02-14.

APETURR (2014). Dados da Associação Pernambucana de Turismo Rural. Recuperado em 29 agosto, 2014, de https://dl.dropboxusercontent.com/u/15092292/Dados%20da%20Associa%C3%A7%C3%A3o%20Pernambucana%20de%20Turismo%20Rural.docx

APETURR (2014). Recuperado em 27 maio, 2014, de http://www.apeturr.com.br/associados.

Bagur-Femenías, L., Martí, J., & Rocafort, A. (2015). Impact of sustainable management policies on tourism companies' performance: the case of the metropolitan region of Madrid. Current Issues in Tourism, 18(4), 376-390.

Bergin-Seers, S., & Mair, J. (2009). Emerging green tourists in Australia: their behaviours and attitudes. Tourism and Hospitality Research, 9(2), 109-119.

B. Filho, E. B. B. & Sampaio, J. L. F. (2004). Sustentabilidade Ambiental: Discutindo o lugar. Mercator - Revista de Geografia da UFC, 3(6), 89-94.

Bohdanowicz, P. (2006). Environmental awareness and initiatives in the Swedish and Polish hotel industries—survey results. International Journal of Hospitality Management, 25(4), 662-682.

Boniface, C. & Cooper, C. (2001). World Wide Destinations – The Geography of Travel and Tourism. Oxford: Butterworth-Heinemann.

Candido, Í. & Vieira, E. (2003). Gestão de Hotéis. Técnicas e Operação. Caxias do Sul: EDUCS.

Calixto, L. (2009). Responsabilidade Socioambiental: Pública ou Privada?. Contabilidade Vista & Revista, 19(3), 123-147.

Carlsen, J., Getz, D., & Ali-Knight, J. (2001). The environmental attitudes and practices of family businesses in the rural tourism and hospitality sectors. Journal of Sustainable Tourism, 9(4), 281-297.

Chong, H., & Ricaurte, E. (2014). Hotel sustainability benchmarking [Electronic article]. Cornell Hospitality Reports, 14(11), 6-21.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto (2ª ed.). Porto Alegre: Bookman.

Dencker, A. d. (1998). Métodos e Técnicas de Pesquisa em Turismo. São Paulo: Futura.

Egri, C., Ralston, D., Milton, L., Naoumova, I., Palmer, I., Ramburuth, P., H.V T. D. (2004). Managerial perspectives on corporate environmental and social responsibilities in 22 countries. Academy of Management Best Conference Paper, 2004(1), C1-C6.

Erdogan, N., & Baris, E. (2007). Environmental protection programs and conservation practices of hotels in Ankara, Turkey. Tourism Management, 28(2), 604-614.

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3 ed. . Porto Alegre: Artmed, 2009.

Font, X. (2002). Environmental certification in tourism and hospitality: progress, process and prospects. Tourism management, 23(3), 197-205.

Gil, M. A., Jimenez, J. B., & Lorente, J. C. (2001). An analysis of environmental management, organizational context and performance of Spanish hotels. Omega, 29(6), 457-471.

Kassinis, G. I., & Soteriou, A. C. (2015). Environmental and quality practices: using a video method to explore their relationship with customer satisfaction in the hotel industry. Operations Management Research, 8(3-4), 142-156.

Kirk, D. (1998). Attitudes to environmental management held by a group of hotel managers in Edinburgh. International Journal of Hospitality Management, 17(1), 33-47.

Lima, S. & Partidário, M. D. R (2002). Novos Turistas e a Procura da Sustentabilidade - Um Novo Segmento de Mercado Turístico. Lisboa: GEPE - Gabinete de Estudos e Prospectiva Económica do Ministério da Economia.

Peçanha, R. S., & Iizuka, E. S. (2014). Análise da Produção Científica Brasileira Sobre Sustentabilidade Entre os Anos de 2008 a 2011. Revista de Gestão Ambiental e SustentabilidadeGeAS, 3(1), 01-17.

Le, Y., Hollenhorst, S., Harris, C., McLaughlin, W., & Shook, S. (2006). Environmental management: a study of Vietnamese hotels. Annals of Tourism Research, 33(2), 545-567.

Lee, S., & Oh, H. (2014). Effective Communication Strategies for Hotel Guests' Green Behavior. Cornell Hospitality Quarterly, pp. 52-63.

Lund-Thomsen, P. (2004). Towards a critical framework on corporate social and environmental responsibility in the south: the case of Pakistan. Development, 47(3), 106-113.

Lynes, J. K., & Andrachuk, M. (2008). Motivations for corporate social and environmental responsibility: A case study of Scandinavian Airlines. Journal of International management, 14(4), 377-390.

Ministerio do Turismo (2013). Boletim de Desempenho Econômico do Turismo – ano X, Nª 37 (Outubro/Dezembro 2012). Fundação Getulio Vargas: Rio de Janeiro.

Ministerio do Tursmo (2013). Boletim de Desempenho Econômico do Turismo. Fundação Getulio Vargas – Ano X, Fevereiro, Nª 37. Recuperado em 27 maio, 2014, de http://www.dadosefatos.turismo.org.br.

Manaktola, K., & Jauhari, V. (2007). Exploring consumer attitude and behaviour towards green practices in the lodging industry in India. International Journal of Contemporary Hospitality Management, 19(5), 364-377.

Marconi, M. d. & Lakatos, E. M. (2009). Técnicas de Pesquisa:planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação dos dados (5ª ed.). São Paulo: Atlas

Marinho, A. C. P. & Martins, C. A. D. M. G. (2010). Turista Verde: Uma Análise do Perfil e da Escolha do seu Destino Turístico. Revista Eletrônica Aboré, 4(4), 121-132.

Mensah, I. (2006). Environmental management practices among hotels in the greater Accra region. International Journal of Hospitality Management, 25(3), 414-431.

Mcintosh, M. (2003). Raising a Ladder to the Moon: The Complexities of Corporate Social and Environmental Responsibility. Palgrave Macmillan.

Mihalic, T. (2000). Environmental management of a tourist destination: A factor of tourism competitiveness. Tourism management, 21(1), 65-78.

Oliveira, G. N., Falcão, M. C., & Souza, V. D. (2015). Certificação ambiental na hotelaria: Principais ações mencionadas pelos hóspedes em suas avaliações online sobre empreendimentos hoteleiros certificados. Tourism and Hospitality International Journal, 5(1), 110-134.

Olsen, M. D., & Roper, A. (1998). Research in strategic management in the hospitality industry. International Journal of Hospitality Management, 17(2), 111-124.

Pasquali, L. (1998). Princípios de elaboração de escalas psicológicas. Revista de Psiquiatria Clínica, 25(5), 206-213.

Peattie, K. (2001). Golden goose or wild goose? The hunt for the green consumer. Business Strategy and the Environment, 10(4), 187-199.

Popp, E. V. et al. (2007). Hotelaria e Hospitalidade. São Paulo: HIPSIS, 2007.

Rodriguez, D. S. S., Costa, H. G., & Do Carmo, L. F. R. R. S. (2013). Métodos de auxílio multicritério à decisão aplicados a problemas de PCP: Mapeamento da produção em periódicos publicados no Brasil. Gestão & Produção, 20(1), 134-146.

Rodríguez, F. J. G., & Cruz, Y. D. M. A. (2007). Relation between social-environmental responsibility and performance in hotel firms. International Journal of Hospitality Management, 26(4), 824-839.

Rosenberg, W. (2004). Making a profit… and a difference: HP invents an organization to drive sustainability. Journal of organizational excellence, 23(3), 3-13.

Grant, J. S., & Davis, L. L. (1997). Selection and use of content experts for instrument development. Research in nursing & health, 20(3), 269-274.

Santos, C. B. N. D., Souza, M. T. S. D, & Barbosa, R. J. (2005). Gestão Ambiental em Empreendimentos Hoteleiros: Análise de Práticas e de Resultados em um Estudo de Casos Múltiplos. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, São Paulo, pp. 1-12.

Schaefer, A. (2004). Corporate sustainability–integrating environmental and social concerns?. Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 11(4), 179-187.

Sereno, M. (2011). Análise das Práticas de Gestão Sustentável em Hotelaria–O caso das hospedarias domiciliares de Fernando de Noronha Pernambuco, Brasil (Doctoral dissertation, Dissertação, Niterói).

Siche, R., Agostinho, F., Ortega, E., & Romeiro, A. (2007). Índices versus indicadores: precisões conceituais na discussão da sustentabilidade de países. Ambiente & sociedade, 10(2), 137-148.

Silva, A. R. (2008). Sistema de Gestão Ambiental como Estratégia Empresarial no Ramo Hoteleiro. Revista Científica Eletrônica de Engenharia de Produção, 8(3), 1676-1901.

Stabler, M. J., & Goodall, B. (1997). Environmental awareness, act

Suess, C. (2009). Systematic analysis of identif ying key dimensions of environmentally and socially responsible hotels. UNLV Theses.

Swarbrooke, J. & Horner, S. (1999). Consumer behaviour in tourism. Oxford: Butterworth Heinemann.

Tarí, J. J., Claver-Cortés, E., Pereira-Moliner, J., & Molina-Azorín, J. F. (2010). Levels of quality and environmental management in the hotel industry: Their joint influence on firm performance. International Journal of Hospitality Management, 29(3), 500-510.

Hsiao, T. Y., Chuang, C. M., Kuo, N. W., & Yu, S. M. F. (2014). Establishing attributes of an environmental management system for green hotel evaluation. International Journal of Hospitality Management, 36, 197-208.

Valle, C. E. (2000). Como se preparar para as normas ISO 14000: qualidade ambiental. São Paulo: Pioneira.

Vieira, E. V. (2004). Qualidade em serviços hoteleiros: a satisfação do cliente é função de EDUCS.

Virginio, D. F. & Fernandes, L. V. (2011). Responsabilidade socioambiental na hotelaria: um estudo na via costeira de Natal, RN. Caderno Virtual de Turismo, 11(2), 220 233.

Webste, K. (2000). Environmental Management in the Hospitality Industry. London: Cassell.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015